16

Olha a Banana!!! Leia o post e mude seus pensamentos sobre a simples e "basiquinha" Banana!!!

 E então era uma vez uma pessoa que havia feito uma promessa a si mesma: Ficar menos tempo, perdendo seu tempo, no Facebook! E eis que essa pessoa sou eu! Tenho conseguido, com muito esforço, porque aquilo vicia #cruzcredo e meu tempo tem rendido muuuito mais.
 Estou me organizando...Tarefas da casa, encomendas para entregar, filhos, blog. Acho que está dando certo, estipular um tempo de permanência no face me ajudou bastante e as coisas estão fluindo melhor por aqui. E você? Sente-se também meio "presa" as redes sociais? Já estabeleceu uma meta de tempo para dedicar-se a isso? 
 Mas, vamos ao assunto do post. BANANAS!!!
 Sim, vamos falar desta fruta deliciosa, tropical e com inúmeras formas de consumi-la, algumas curiosidades e sobre alguns dos benefícios para a saúde.
 Há algum tempo trouxemos bananas do rancho, fiz uma Cuca de banana que ficou deliciosa, mas eram muitas bananas, daí que comentei nesse post aqui que havia feito Doce de Banana e traria a receita. Pois então, hoje vim trazer a receita do doce de banana, aquele com gostinho de casa de vovó, feito no fogão a lenha e com muito carinho.
 Mas antes, falaremos um pouco sobre a referida fruta. Interessantes fatos descobri sobre a banana, muito bom integrar culinária com conhecimento cultural, história, enfim, há sempre inúmeras maneiras de acrescentar conhecimento de uma forma positiva em nossas vidas, basta fazermos as escolhas certas diante deste mundo de informações que passamos a ter acesso com a internet.


  É um fascínio poder integrar diversos assuntos a uma simples receita de Bananada. Esta é uma das formas de buscar o conhecimento através da culinária, sendo "apenas" dona-de-casa! Vem se aventurar comigo? Então vamos...
 A origem da banana é do Sudeste Asiático, onde muitas espécies selvagens ainda crescem. Isso é um fato interessante, pois associamos as bananas as nossas matas tropicais, mas nem mesmo os índios conheciam as bananas. Viajantes a levaram da Ásia para a Índia, onde é mencionada em escritas budistas de 600 a.C.! Ao longo dos tempos, a fruta foi sendo disseminada de um local a outro, espalhando-se entre diversos países tropicais.
 O seu nome vem do árabe, banan, que significa dedo. Conta-se que as bananas eram pequenas demais se comparadas com as de hoje, e elas tinham o tamanho de um dedo, daí a origem do nome. Seu nome científico é que mais me chamou a atenção: Musa paradisíaca ou Musa sapientum, bela nomenclatura atribuída à fruta mais tropical que há, pelo botânico e zoólogo Carlos Lineu. A explicação para essa nomenclatura pode ser encontrada em "O Livro das Frutas" de Jane Grigson, onde ela explica que musa vem da palavra árabe mouz, derivada do sânscrito moka, ou da Cidade do Café na Arábia do Sul. Lineu provavelmente utilizou o termo Sapientum das escritas de Plínio, o Velho, que escreveu que os sábios da Índia - Sapientes indorum - delas se alimentavam: "A folha é como asa de pássaros (...) A fruta cresce diretamente do tronco e é deliciosa por sua doçura. O termo "paradisíaca" é uma outra referência aos árabes, que afirmavam ser a bananeira, a Árvore do Paraíso. Os europeus, inclusive Plínio, no início a chamavam de figo: figue d'Adam, figue du Paradis, para os franceses, antes de adotarem o termo banane e fico d'Adamo, na Itália.
 Naturalis historia, em latim, História Natural para nós, é uma enciclopédia natural escrita por Caio Plínio Segundo ou Plínio, o Velho, filósofo e naturalista que viveu entre 23 d.C. e 79 d.C. e morreu na famosa erupção do vulcão Vesúvio, responsável pela destruição de Pompéia, Herculano e outras vilas menores ao redor. É em um dos volumes desta enciclopédia que Lineu se inspirou para dar a nomenclatura a nossa básica e trivial banana. Interessante, não é mesmo?

 
 A bananeira não é uma árvore, mas a maior planta herbácea do mundo.


 Nos séculos XV e XVI, os colonizadores portugueses começaram a plantação sistemática de bananais aqui no Brasil, porém, elas permaneceram no anonimato por muito tempo pela maior parte da população européia. Por isso, Júlio Verne, na obra "A volta ao mundo em 80 dias" (1872), a descreve com detalhes, pois sabe que grande parte de seus leitores a desconhece.
 Elas são o principal alimento de milhões de pessoas em vários países em desenvolvimento. Em muitos países, as bananas verdes, ou seja, aquelas que ainda não estão maduras, são muito utilizadas fritas, cozidas, assadas e em guisados, assim como nós usamos as batatas, eles usam as bananas.


 O consumo diário de bananas ajudam na redução da pressão arterial por ser uma importante fonte de potássio. Também são ótimas para a digestão, por conter uma alta quantidade de fibras sintéticas.
 A banana é uma excelente fonte de fruto-oligossacarídeos, que são pré-bióticos, que auxiliam na manutenção das bactérias benéficas no trato digestivo, esses fruto-oligossacarídeos ainda auxiliam na absorção de cálcio e magnésio, sendo ótimo para a saúde dos ossos.
 São inúmeros os benefícios que o hábito de consumir banana diariamente trazem para a saúde. Além de todo esse potencial positivo que a banana causa na saúde de quem a consome, ela é utilizada na culinária de diversas maneiras e em muitas outras áreas. O coração e o interior do tronco da bananeira são comestíveis, as folhas são utilizadas para envolver os alimentos no seu preparo e até para servi-los, além de fornecer fibras para confecção de tecidos de alta qualidade e papéis. É utilizada também no preparo de doces, balas, pode ser consumida a milanesa, banana slipt, flambada, no preparo de bolos, cucas, saladas de frutas, para fazer aguardente artesanal e cerveja.
 A cerveja de banana é uma bebida típica da República Democrática do Congo e é uma importante fonte de renda para este país. 
 Uma fruta, diversas formas de consumi-la! Gostou de saber todas essas curiosidades a respeito da banana?, praticamente a fruta símbolo do nosso país!! Ou você já sabia?
 E então vamos a receitinha do doce, que é facílimo de fazer!


Doce de Banana

 Ingredientes

  • 12 bananas nanicas
  • 4 xícaras de chá de açúcar
  • suco de 4 limões
Modo de fazer

 Junte as bananas, o açúcar e o suco dos limões. Leve ao fogo e retire quando estiver desgrudando do fundo da panela.
 Simples assim! Ela fica cremosa, uma delícia!!! 
 Cuidado na hora de mexer, pois espirra demais e você pode se queimar!




 E ao final da tarde, fui presenteada com a presença de um casal de papagaios que pousaram nas bananeiras nos fundos do rancho...


 Mas os papagaios são assunto para o próximo post. Aguardem...
 

6

Reflexão de sentimentos...adoçando a vida!!!!

 Hoje quero falar um pouco do universo mágico dos sentimentos que habitam nossa alma. Isso é algo que me fascina e muitas vezes me sinto um pouco, digamos, no bom sentido da palavra - se é que pode haver um bom sentido para certas palavras, - obcecada pela análise de algumas atitudes e quais sentimentos estão por trás de tais ações.
 Primeiro gostaria de saber se você acha que os sentimentos já vêm conosco de outras experiências vivenciadas ou se vamos adquirindo-os ao longo de nossa vida?


 O que leva uma pessoa a tratar alguém que ela mal conhece com aspereza e rigidez? Por que algumas pessoas são tão secas umas com as outras?
 Quais os sentimentos que estavam dentro destas pessoas e adoeceram? Sim, porque eu acredito que todos temos a capacidade de amarmos uns aos outros, mas por razões particulares deixamos com que alguns bons sentimentos adoeçam dentro de nós. Penso que muitas vezes agimos com a desculpa de estarmos em defesa de nossas dores, de sermos endurecidos por tantos sofrimentos e assim não nos soltamos em busca da melhoria de nós mesmos, não procuramos adquirir sentimentos que fortalecem ao invés de cultivar sentimentos que enrijecem e nos tornam pessoas frias, tristes...
  Existe um mundo infinito de sentimentos dentro das pessoas, um mundo borbulhando dentro do peito, sentimentos contrários mas que caminham lado a lado, algumas emoções inerentes ao ser, outras conquistadas durante sua existência e ainda algumas adormecidas pelas situações e passagens do cotidiano.


 Acho que o importante é saber o por quê de estar lutando contra sentimentos ruins, tristes, amargurados. Quais as razões que fazem valer a pena viver com a alma livre de sensações que adoecem e nos tornam frios, mas frágeis como cristais, que ao menor toque trincamos o que imaginávamos ser uma fortaleza. Vocês enxergam as pessoas mais frias como as mais fortes? Isso é um grande equívoco, estas pessoas estão vestidas de uma armadura que as protegem de si mesmas, porque a dor e a angústia de não saberem lidar com suas imperfeições e com sentimentos tão adoecidos faz com que se armem e sejam frias, endurecidas e muitas vezes rotuladas como insensíveis e até mal educadas.
 Somos estas pessoas? A resposta poderá nos trazer conflitos, mas enxergar a necessidade de mudança, de tratamento e de novas oportunidades de ser mais leve, de sorrir mais vezes, de tratar as pessoas bem, de perdoar é o começo de um longo caminho que será benéfico no momento que evidenciarmos as maneiras de como quebrar as amarras que nos tornam prisioneiros de nossas próprias dificuldades, escravos de nossas angústias, medos e aflições.


 O momento em que enxergamos a necessidade da transformação de nossos pensamentos e sentimentos, da mudança de nossas atitudes, passamos a viver melhor e com mais consciência de que o bem que fazemos para o outro volta em forma de energia salutar para nós. O perdão não é para o outro e sim para mim mesmo, que estarei livre de sentimentos que aniquilam minha alegria e sufocam todas as possibilidades de vivenciar a liberdade de não ter o rancor, a raiva, a mágoa dentro do meu coração e que destroem qualquer possibilidade de aprimoramento moral.
 A reforma interior é individual e intransferível, necessária para o crescimento e amadurecimento do ser que já consegue se ver como espírito que evolui e caminha rumo a perfeição.


 Que possamos identificar os sentimentos bons que existem dentro de nós e utilizá-los como ferramentas úteis para a transformação dos sentimentos doentes que ainda existem em nosso íntimo; seja uma mágoa por uma ofensa, a raiva por ter sido enganado, o desamor causado pela ausência e negligência daquele que esperávamos carinho e cuidados, a falta de bom senso ao tratar de assuntos referentes ao trabalho material, enfim, que possamos identificar esses sentimentos, sem o uso de nenhuma máscara que esconda as verdadeiras causas e dores que proporcionam essas sensações deletérias em nosso ser.
 E para adoçar a vida, nada melhor do que uma receitinha básica de bolo, não é mesmo? Porque o mundo já é bem amargo e, cabe a cada um fazer o seu papel, transformando cada gesto áspero em oportunidade de propagar a paciência e o carinho.




Bolo de Cenouras

Ingredientes da massa
  • 3 xícaras de chá farinha de trigo
  • 1 xícara de chá óleo
  • 2 xícaras de chá açúcar
  • 1 colher de sopa de fermento em pó
  • 3 cenouras picadas
  • 3 ovos
Ingredientes da cobertura
  • 1 lata de leite condensado
  • 2 colheres de chocolate em pó
  • 2 colheres de manteiga ou margarina
Modo de fazer a massa

 Bata as claras em neve e reserve. Bater no liquidificador a cenoura, o óleo, o açúcar e as gemas. Juntar numa tigela a farinha, o fermento e o creme batido no liquidificador e, por último, as claras em neve. Untar uma assadeira e enfarinhar, levar ao forno pré aquecido para assar.
 Atente-se para o tamanho das cenouras, se forem muito grandes, use apenas duas.

Modo de fazer a cobertura

 Desmanche o chocolate no leite condensado, leve ao fogo baixo com a manteiga ou margarina sempre mexendo até o ponto de brigadeiro de colher.
 Despeje sobre o bolo pronto e frio. Se quiser polvilhe chocolate granulado ou raspas de chocolate.
 Bom apetite!










 
6

A construção através do aprendizado

 A leitura é parte essencial para a sobrevivência da alma de um ser humano. Uma das coisas mais tristes que há é uma nação sem comida na mesa e sem leitura na algibeira. Precisamos do alimento para o corpo, mas também há a necessidade do alimento da alma, aquele que enriquece nossos pensamentos e nos leva a sonhar e fantasiar, conhecer o mundo sem sair do lugar, formulando ideias e questões que nos impulsionam adiante para uma caminhada cheia de letras, cores e formas, informações que nos deixam a par da realidade de outros lugares e de outras pessoas. Não somos mais apenas um indivíduo, mas o indivíduo que lê e relê aquilo que lhe interessa e que lhe traz prazer e conhecimento.
 Eu me encanto com a alfabetização em crianças e me encanto ainda mais com a alfabetização de um adulto. Já tive o prazer de trabalhar com alfabetização de adultos, não havia nada mais gratificante do que enxergar naquelas pessoas sofridas e amarguradas pelas dificuldades da vida o prazer que sentiam quando iniciavam o conhecimento das letras, quando usavam essas mesmas letras para se comunicarem com o mundo através da leitura.
 Passeando pelas sendas da alfabetização dos meus filhos, onde participei ativamente desde seus primeiros indícios de que já era hora de realizar estímulos para desenvolver as várias áreas cerebrais responsáveis pela visão, olfato, tato, paladar, audição, ou seja, nossos cinco sentidos, admirei-me ainda mais ao enxergar cada etapa desse desenvolvimento sendo construída através de suas descobertas e do afeto e carinho que eu utilizava no momento exato de cada novo conhecimento adquirido.


 Este foi o ano da alfabetização do meu filho caçula! Recordo-me claramente, e espero guardar estas lembranças por toda minha existência, os momentos de novas aquisições de conhecimento do meu filho mais velho, as cores, texturas, gostos, depois as formas, quantidades, espessuras, mais tarde as linhas tortas que eram traçadas para a escrita de cada letra, de cada numeral até o exato instante em que estas mesmas letras transformaram-se em sons, em sílabas, em palavras. E com o caçula não poderia ter sido diferente, aliás, foi sim! Cada filho é único e cada um carrega suas potencialidades e dificuldades e cabe a nós, pais, educadores identificarmos cada uma delas para evidenciá-las e trasnformá-las de acordo com as necessidades de cada filho.
 E foi nesse clima de descobertas que visitamos a 12ª Edição da Feira do Livro de Sertãozinho. Há doze anos atrás nascia meu filho mais velho e nascia também a feira do livro na nossa cidade. Interessante acontecimento...coincidente com o fato de ele ter o gosto pela leitura desde que foi alfabetizado. Primeiro eram os gibis, depois as revistas de Ciências, mais tarde os livretos de curiosidades e hoje são livros e mais livros de assuntos variados que ele descobre, viaja e imagina através da leitura.


 O emblema da 12ª Feira do Livro de Sertãozinho foi : "Educar: a responsabilidade é de todos!". Identifiquei-me com a frase, pois acredito que a educação é responsabilidade de todas as pessoas que convivem na sociedade. Pais, professores, tios, avós, todos têm o dever de educar as crianças que passam pelo seu caminho, quer seja por um instante, quer seja pela vida toda. Sempre há uma oportunidade de ensinamento e aprendizado, sempre há uma oportunidade de educar quem está ao nosso lado e de recebermos algo que possamos agregar em nossa educação.



 O tema escolhido "Família e Educação" deve ser abordado cada vez mais entre pais e professores. Eu tive e tenho o grande esforço de participar ativamente no processo de aprendizado dos meus filhos, eu e meu marido nos esforçamos a cada dia para ensinar valores morais dignos para que sejam homens de bem, não colocamos nas costas da escola a responsabilidade de ensinar o que é certo e errado aos nossos filhos, somos conscientes de que a escola é um fator que agrega na educação deles, mas somos nós que construímos a base sólida que servirá de alicerce no futuro, para que sigam o caminho do bem com o conhecimento que receberam dos professores.
 Com tantos acontecimentos bizarros nas escolas, onde alunos praticamente espancam seus professores, eu acredito que esse tema precisa ser cada vez mais abordado e trabalhado nas escolas de todo o país. Em verdade o Brasil é um país muito grande, com realidades discrepantes, existem lugares onde crianças lutam todos os dias para tentar estudar, viajando durante horas para chegar em escolas precárias e sem materiais básicos necessários para a dignidade dos atos de ensinar e aprender; há ainda escolas novas que precisam de finalização nas suas construções para serem inauguradas e crianças ávidas por uma aula digna e de boa qualidade; outras que têm esse tesouro nas mãos e deixam escapar perdidos entre brigas e lutas diárias com os monstros que encontram dentro deles mesmos, aonde demonstram através de atitudes violentas e sanguinárias contra colegas e profissionais da educação.
 Poucos pais estão atentos a esse dilema constrangedor e avassalador que corrompe a educação em nosso país. Ou estão de mãos atadas, tendo que conviver com a realidade que os políticos impõe ao povo, negando escolas, merenda, material e uniformes ou, preferem esconder as dificuldades sociais e comportamentais que seus filhos apresentam quando estrapolam de todas as formas negativas contra professores, diretores, inspetores e colegas.
 Uma parcela pequena está consciente de seu papel de pais e educadores, formadores de seres humanos que serão dignos ou não, de acordo com os exemplos vivenciados dentro do lar.
 É bem verdade que para toda regra há uma exceção, e claro que existem pais esforçados e compromissados que tentam e lutam para dar bons exemplos aos filhos que teimam em seguir o caminho contrário traçado pelos seus genitores. Mas para debater esse assunto, teríamos que dividir esse post em dias, semanas, meses tal a complexidade do fato.
 Prestigiar um evento dessa importância na vida de nossos filhos, como foi e como sempre é uma Feira do Livro, foi muito prazeroso. Ver as sementes que semeamos germinando é de muito valor, emocionante eu diria. O trabalho de educar os filhos é diário e incessante, não há folgas, não há como direcionar uma criança no caminho do bem se não exemplificarmos, apenas falar e falar não irá fazer com que aquele pequeno ser construa dentro dele algo de bom e harmonioso, então o trabalho é suado e árduo, mas gratificante em momentos como este, onde você enxerga seu filho sentindo prazer em adquirir um livro, um material dourado, dedoches...enfim, seu pequeno pedacinho de gente está começando a fazer suas próprias construções através de seus exemplos e isso vale mais que qualquer coisa nesse mundo.



 A abertura do evento foi muito bonita contando com a presença de várias autoridades municipais, do escritor local homenageado, Doutor Gilberto Antônio Marques Bellini e do patrono do evento, o artista Rolando Boldrin, que teve uma homenagem prestada pela Casa de Leis, conferindo-lhe o título de "Cidadão Sertanezino". Após a cerimônia, houve a apresentação do show "Causos e Canto", do referido artista.
 Houveram também apresentações da Orquestra Jovem de Sertãozinho.





 A Feira contava com a presença do projeto Geladeiroteca, um projeto muito bacana de incentivo a leitura.



 Incentivar nossas crianças a ter bons hábitos desde cedo como ler, auxiliar o próximo, respeitar as pessoas e ter consciência de seu papel de cidadãos no mundo é primordial para a construção de um mundo melhor.



15

Vamos continuar espalhando amor por aí?

 Ontem a postagem aqui no blog foi sobre o amor, esse sentimento que traz calma e força para nossos caminhos e eu falei sobre o exercício desse amor através do bem ao próximo.
 Não há outra forma de demonstrarmos o carinho e afeto que existe dentro de nós senão por aquilo que fazemos em benefício do nosso próximo, seja de nossa família, amigos, ambiente de trabalho ou até mesmo por alguém que não conhecemos, mas que será beneficiado por alguma atitude nossa.
 A moral de Jesus se resume no amor ao próximo e na caridade e segundo Ele o caminho para a felicidade verdadeira consiste na prática destes dois exemplos que foram tão bem vividos por Cristo em sua breve passagem material pela Terra.
 A caridade pode ser dividida em material ou moral, para uma melhor compreensão. A caridade material, como o próprio nome já se faz por entender, é aquela em que há o auxílio através da doação de bens materiais e deve ser exercida com desprendimento e amor, sem humilhar quem recebe. O amor se manifesta na maneira como se dá, não incluindo aos que doam algo apenas para se verem livres de quem pede ou simplesmente para aliviar a consciência, mas sim a atitude verdadeira em querer ajudar. Quando realizamos a caridade material devemos ter em mente que a verdadeira caridade é aquela em que não se espera reconhecimento, gratidão ou retorno de qualquer espécie pela ação realizada. Pode-se doar muito ou pouco, com muito ou pouco amor, disso dependerá da real intenção de quem o faz.
 Já a caridade moral, como a entendia Jesus, é a benevolência ( boa vontade) para com todos, indulgência (tolerância) para com as imperfeições alheias e o perdão das ofensas. Este conceito de caridade reúne todos os deveres do ser humano para com seu próximo. A caridade moral pode ser exercida por meio de palavras que consolam, esclarecem e edificam, através de ondas mentais sob a forma de perdão, prece e amor, emitidas em favor daquele que necessita; poderá ainda ser executada a caridade moral por um afago, abraço , sorriso, um carinho. Quando nos silenciamos diante de uma ofensa ou quando prestamos a atenção ao desabafo de um amigo estamos praticando a caridade moral.
  Sempre existem meios e oportunidades para o exercício da caridade, seja ela material ou moral. Não percamos as inúmeras chances que Deus coloca em nosso caminho todos os dias para exercermos e vivenciarmos os ensinamentos de Jesus, afinal, não há quem não possa doar algo, dedicar atenção a um irmão, vibrar positivamente por alguém.
 E é com essas boas energias e pensamentos elevados que venho fazer a postagem de hoje, iniciando a semana com a proposta de aproveitarmos ao máximo todos os dias de nossa vida nos esforçando para auxiliar e amparar a quem precisa.
 Venho através desta mensagem, falar de um assunto muito pertinente hoje na mídia, a doação de cabelos para confecção de perucas para mulheres em tratamento contra o câncer. A perda de cabelo devido aos efeitos colaterais do tratamento da doença causa um impacto psicológico negativo na feminilidade da mulher, gerando ainda mais problemas para a paciente como baixa auto-estima, retardando sua recuperação, como afirmam os especialistas.
 Segundo estimativa do Instituo Nacional do Câncer, só em 2014, mais de 235 mil mulheres serão diagnosticadas com essa doença.
 Nós mulheres, sabemos o que o cabelo significa para nossa beleza e auto-estima, os cabelos são a moldura do rosto da mulher e a perda deles é algo complicado e doloroso para quem realiza os tratamentos agressivos com a quimioterapia, além de tantos outros efeitos que esse tratamento traz no corpo das pessoas e que as pacientes precisam aprender a lidar. Isso quando falamos em mulheres adultas, agora imaginem crianças que estejam passando por esse agressivo processo de luta contra o câncer. É muito triste mesmo, eu sei, mas essa tristeza não pode e nem deve ficar perdida apenas nas palavras, devemos revertê-la e transformá-la em conforto e esperança para essas mulheres e crianças que estão passando por isso. Então, nada mais belo que tomar a atitude de cortar os cabelos e realizar a doação para a confecção de perucas para essas pacientes.
 Cuido dos meus cabelos no Salão Lita Hair e a Lita é uma pessoa linda, sempre disposta a ajudar quem precisa e cada corte de cabelo que ela faz e que pode ser doado, ela me chama para eu colocar nos Correios. Até agora foram quatro doações, incluindo a minha, mas tenho certeza que teremos ainda muitas mulheres dispostas a entrar nessa corrente do bem.



 Como doar seu cabelo?
 Alguns passos simples devem ser seguidos para um melhor aproveitamento dos cabelos doados. Caso seu cabelo tenha passado por algum tipo de tintura, não tem problemas, só não são aceitos cabelos que tenham passado por algum tratamento químico, acredito que alisamento e afins.
 Para doar, é necessário que seu cabelo tenha pelo menos 10 centímetros de comprimento para o corte. Antes de cortar, amarre-o em um rabo de cavalo.


 Corte o cabelo acima da marcação do rabo de cavalo, guarde o cabelo seco num saco plástico.


 Pronto! Agora é só enviar para uma instituição que faça uso dos cabelos para a confecção das perucas.


 Meu cabelo ficou assim...



 Eu adorei! Fiquei mais jovem - rsrsrs...Brincadeiras a parte, o cabelo cresce né gente, sem dó de cortar para fazer uma boa ação, afinal, estar no lugar destas mulheres ou crianças deve ser muito difícil e se fôssemos nós, gostaríamos que fizessem o mesmo!
 Agora as fotos das queridas que também aceitaram doar seus cabelos.
 Aqui, a Eliana...cabelo lindo gente! Deve ter dado uma peruca e tanto. Depois do corte, ficou super chique! 


 Aqui, o corte da Daniele. Ficou ainda mais curto que o meu! Parabéns Dani, sua coragem para mudar de visual ajudará alguma paciente a ter mais alegria nessa caminhada tão difícil!



 E aqui, o corte da Aline. Gente, eu e a Aline estudamos juntas no primeiro ano do Ensino  Fundamental, nem sei se ela se lembra disso!!! Faz teeempo...#abafa!!! E agora o destino vem de encontro fazer essa surpresa linda com uma iniciativa tão bonita da Aline. 



 E então? Animou fazer a doação? Já fez? Conhece alguém que já fez? Compartilha com a gente, entra nessa onda do bem e vamos todos espalhar amor e esperanças por onde quer que estejamos!
 A cada doação que houver no Salão da Lita eu irei fazer a divulgação aqui, assim quem sabe, poderemos inspirar mais e mais pessoas a entrar nessa onda de alegrias!
 Para onde enviar o cabelo?
 Eu pesquisei bastante e decidi enviar para a AVCC - Associação Voluntária de Combate ao Câncer.
 O endereço para enviar os cabelos para a AVCC é:
Avenida Paulo de Mattos Leandro, 1357 - Bairro Dr. Paulo Prata
CEP 14784-379 - Barretos/SP
 O telefone para contato é: 17 3321 6600 Ramal: 6792
 O e-mail é: contato@avccbarretos.com.br
 Horário de atendimento de segunda a sexta-feira das 8 horas as 17 horas.
 Quando você envia a doação eles te mandam uma carta no prazo de sessenta dias, avisando que sua doação chegou.
 A AVCC aceita todo tipo de doação, produtos de limpeza, de higiene, roupas novas e usadas em bom estado, alimentos não perecíveis, bijuterias, artesanatos, produtos hospitalares e ortopédicos como cadeiras de rodas, bengalas, andadores, inaladores, muletas, fraldas geriátricas, enfim, toda e qualquer doação é bem vinda!
 Também tem o Cabelegria em São Paulo e a Fundação Laço Rosa, no Rio de Janeiro.
 Têm muitas outras instituições que recebem os cabelos, você pode pesquisar e enviar naquela que for mais perto ou que você já tenha algum vínculo de auxílio.
 Espero que tenha animado algumas de vocês ou, que se não haja a possibilidade de ser feita a doação dos seus cabelos, tenha sido semeado o ato da caridade, mesmo aquela singela palavra de conforto ou um carinho afetuoso a alguém necessitado, como relatado lá no início do post. Que essa semeadura brote e dê lindos frutos dentro de nossos corações cheios de esperanças de que um dia, esse mundo em que habitamos, será um lugar bom e repleto apenas de pessoas bem intencionadas.
 Fiquem com Deus. Beijinhos...   
15

Você tem amor em seu coração?



 O amor é um sentimento cheio de dualidades, porém único. Eu acredito que nós, em nossa fase evolutiva, ainda não conseguimos chegar nas proximidades do que é o verdadeiro amor segundo as leis de Deus. O amor é o sentimento por excelência e Jesus veio nos trazer esse sentimento através de sua doutrina e exemplificação por meio de sua conduta perante as pessoas e as dificuldades.
 O fato é que, o que entendemos por amor deve ser chamado de amor, mesmo que ainda não atingimos a excelência do amor que liberta, do amor que constrói e do amor que edifica, pois o amor é de essência divina e, desde o primeiro até o último, possuís no fundo do coração a chama desse fogo sagrado.
 Necessitamos exercitar nossos bons sentimentos através de nossas ações para que possamos reacender essa chama dentro de nossos corações.
 Não basta que tenhamos o amor dentro do peito, não basta que amemos nossos filhos, nossos maridos, nossos pais e irmãos...precisamos externar esse amor para todas as pessoas que estão a nossa volta e isso se dá através de boas ações, das mais simples e diárias até as mais complexas, através do exercício no bem, praticando o bem ao próximo, sendo com um sorriso, uma palavra de conforto, um simples abraço até o pão que sacia a fome, o agasalho que aquece e o calçado que conforta os pés de uma criança.
 Cada vez mais a responsabilidade de auxiliar o próximo bate a nossa porta e não há mais como alegarmos que não sabemos, não há como dizermos que não temos o conhecimento das leis de Deus e de como agir perante os ensinamento de Cristo, porque isso todos nós já sabemos, portanto, a cobrança é de nossa consciência que já possui o essencial para a prática da caridade pura e sincera, a caridade que acalma, a caridade que transforma os sentimentos mais furiosos e instintivos em batimentos serenos de um coração aquietado pela bondade de um gesto de amor!
 E você, tem esse amor em seu coração?
 Essa blogagem é uma participação na Blogagem Coletiva da Elaine Gspareto - Espalhe amor em seu blog.




Divitae


9

Bolo pudim de laranja! Servidas?


 Oi pessoal! Como foi o final de semana? Por aqui nós fomos para o rancho no sábado a noite, fiz muitas receitinhas gostosas para saborearmos.
 Eu não sei você que está lendo, mas eu amo cozinhar e um dos meus momentos de relax acontecem no atelier e na cozinha! Tem gente que não gosta de fazer comida porque fica a louça para lavar, mas eu acho que quando você gosta de fazer alguma coisa a organização acontece naturalmente, e eu vou cozinhando e já vou lavando e organizando tudo de modo que quando termino de fazer a comida, não deixo nada para lavar, só ficam os pratos e talheres que usaremos para fazer a refeição. Tá tá, tudo bem, no fim acaba tendo louça mesmo, as panelas, assadeiras e formas que foram usadas para servir a comida, mas enfim...gosto tanto que acho isso o "de menos". E você, concorda comigo ou acha um "Ó" ter que cozinhar e lavar a louça?
 Mas, voltando ao foco. Fomos para o rancho no sábado a noite depois que saímos do nosso estudo no Centro. Gosto muito de ir para o rancho e há uns três anos atrás nossa vida era todo final de semana ir pra lá, algumas vezes íamos na sexta-feira e voltávamos no domingo a noite. Mas as coisas foram tomando outro rumo, acredito que com o amadurecimento nós fomos enxergando que é necessário termos dias de lazer, mas que também se faz necessário a busca pelo conhecimento dos ensinamentos de Jesus e o esforço para segui-los. Aos sábados nós temos nossos compromissos religiosos no Centro, pela manhã as crianças fazem Evangelização, as 14 horas nós participamos dos estudos do livro Caminho, Verdade e Vida e as 17:30 eu e meu marido participamos de um estudo sobre a Mediunidade. Então, com todos estes compromissos no sábado, nós deixamos de ir todos os finais de semana para o rancho, porém, a edificação que ocorre dentro da nossa casa é muito maior hoje do que há três anos atrás quando nossa única prioridade era o lazer. É preciso fazer escolhas, é necessário abrir mão de algumas coisas para conseguir alcançar harmonia e equilíbrio e hoje conseguimos um lazer com muito mais qualidade do que quantidade.
 Voltando novamente...Gente, tô desfocada hoje! rsrsrs É a labirintite, estou mega tonta (mais?) por conta de uma crise e agora haja tempo para voltar ao normal!
 Well!!! Domingo fiz um bolo pudim de laranja que vou te contar colega, ficou divino, ainda mais que foi assado no forno a lenha!!! Foi a segunda vez que fiz essa receita e pode confiar que fica deliciosa! Peguei essa receita no programa da Palmirinha Onofre, ai que vovozinha mais fofa, mais linda e com umas receitinhas ótimas. A Palmirinha é um exemplo de pessoa que serve de inspiração de boa vontade, bom ânimo e alegria!
 Fiz também doce de banana com as bananas do rancho, lembra no post anterior quando fiz a Cuca de banana? Então, ainda ficou um monte de bananas, daí que resolvi fazer uma bananada no fogão de lenha! Para o nosso almoço eu fiz uma receita de coxas e sobrecoxas de frango assadas crocantes, hummm...Essas receitinhas eu vou colocando aqui em outros posts para não ficar uma postagem cansativa, ok?
 Então, vamos a receitinha?


Bolo Pudim de Laranja

Ingredientes:

Para a calda

  • 2 xícaras de chá de açúcar
  • 1/2 xícara de chá de água
Para o pudim

  • 1 lata de leite condensado
  • 3 ovos
  • 350 ml de suco de laranja
Para o bolo

  • 1 xícara de chá de açúcar
  • 2 xícaras de chá de farinha de trigo
  • 1 colher de sopa de fermento em pó
  • 4 ovos
  • Raspas de casca de laranja a gosto
  • 1 xícara de chá de suco de laranja
Modo de fazer

 Calda

 Em uma panela, coloque a água e o açúcar. Misture até dissolve-lo, leve ao fogo sem mexer, até obter uma calda cor de caramelo. Em seguida, forre uma forma redonda com a calda e reserve.

 Pudim

 Bata todos os ingredientes no liquidificador. Despeje na forma caramelizada e reserve.


 Bolo

 Bata as claras em ponto de neve firme. Em seguida acrescente as gemas uma a uma e o açúcar em colheradas.


 Bata bem, reduza a velocidade da batedeira e coloque o suco de laranja aos poucos. Misture bem e desligue a batedeira.


 Com a batedeira desligada acrescente a farinha, o fermento e as raspas da laranja. 


 Mexa delicadamente e quando estiver homogêneo despeje na forma com o pudim.
 Leve para assar por uma hora e meia em banho-maria.
 Fica delicioso!


 E como a minha forma era baixa, sobrou massa de bolo. Eu coloquei em outra forma untada e enfarinhada e fiz um bolinho de laranja com a sobra da massa.




 E aqui, o bolo pudim pronto!


 Faz e depois me conta, tenho certeza que você vai adorar!
 Aproveitando a postagem, está acontecendo mais uma Troquinha no blog da Silvana Recicla, cria e... Quer participar? Clica no link e não perca tempo, vamos estreitar nossos laços de amizades...


 No post anterior eu disse que estava preparando um sorteio, e estou mesmo! Fiquem de olho que está semana tem novidades por aqui, ok? 
 Para terminar o post, deixo a imagem do pôr-do-sol lá de Guaraci...Uma dádiva de Deus! Beijinhos e até breve.




Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Encomendas


http://www.flor-de-melissa-atelier.com/p/contato.html


Marcadores

Visualizações